Angola has signed various bilateral agreements to boost the flow of energy investment, technology and skills in the country as well as to accelerate infrastructure development and project deployment for the sustainable growth of the energy industry. With energy demand increasing and Angola seeking to maximize the development and monetization of its hydrocarbons – the country has an estimated 13 trillion cubic feet of gas and 7.2 billion barrels of oil reserves – these agreements are crucial for helping the country achieve energy self-sufficiency and socioeconomic development targets.

Angola-Zambia Fuel Refinery and Export Deal

With Angola positioning itself as a regional fuel hub, a deal signed in January 2023 with neighboring Zambia for the provision of petroleum products will boost the country’s fuel exports and revenue generation. The deal follows Zambia acquiring a stake in Angola’s Lobito Refinery in 2022, an agreement which paved the way for the Zambian government to direct investment towards boosting the refinery capacity of the facility.

Additionally, Zambia and Angola signed a $5 billion deal to develop a pipeline which will transport petrol, kerosene, diesel and gas from the Lobito Refinery to Zambia. In addition to providing Zambia with a steady supply of petroleum products, the bilateral agreement consolidates Angola’s position as a regional energy hub and exporter.

Angola-Sierra Leone Knowledge Sharing and Trade Deal

During the Angola Oil & Gas (AOG) conference – Angola’s premier event for the energy sector – in November 2022, Angola, through the National Agency for Oil, Gas and Biofuels (ANPG), signed a deal with Sierra Leone for the two countries to cooperate on industry growth through the sharing of knowledge, technology and industry best practices. As part of the deal, Angola and Sierra Leone will enhance cooperation on energy trading as well as infrastructure investments, leveraging Angola’s expertise as a major producer to develop Sierra Leone’s burgeoning energy industry.

Angola-Namibia Local Content Deal

With Angola committed to helping emerging African energy markets optimize oil and gas sector growth, the country, through the Ministry of Mineral Resources, Petroleum and Gas, signed a deal with Namibia’s Ministry of Mines and Energy during AOG 2022 to cooperate on the exchange of information, industry data management, geological studies and the development of joint petroleum and gas projects. The deal will allow Namibia and Angola to work together in addressing energy transition-related industry challenges while optimizing the exploitation of associated opportunities.

Angola-Italy Gas Production Deal

With the Russian-Ukraine war stressing Italy’s gas supplies and Angola seeking partners to maximize the development of its gas industry, the two parties signed an agreement in 2022 paving the way for collaboration regarding the production and exportation of natural gas. As per the terms of the agreement, Italy and Angola will work together in the renewable energy, liquefied natural gas and biofuels sectors as well as in training regarding technology and environmental sustainability.

Angola-Russia Hydrocarbon Industry Cooperation

While Angola is one of Africa’s largest oil producers, the country has also turned to global leading producing countries such as Russia to enhance activities and infrastructure rollout across the entire oil and gas value chain. In 2019, Angola signed a cooperation deal with Russian state-owned oil and gas firm Rosneft for the Russian firm to help the central African country to modernize existing infrastructure, build new downstream facilities and to maximize upstream activities.

Diversification Deals

Angola has also signed various bilateral agreements which will enable the country to diversify its energy mix to ensure a diverse energy economy. In 2019, the country signed a deal with Portugal for renewable energy investments and projects rollout following a 2018 deal reached with the Chinese government for the development and funding of the 2.1 GW Caculo Cabaca Hydropower project in Kwanza Norte Province.

Angola assinou vários acordos bilaterais para aumentar o fluxo de investimento em energia, tecnologia e competências no país, e para acelerar o desenvolvimento de infra-estruturas e implantação de projectos para o crescimento sustentável da indústria de energia. Com o aumento da procura por energia, e com Angola a procurar maximizar o desenvolvimento e a monetização dos seus hidrocarbonetos – o país tem cerca de 13 triliões de pés cúbicos de gás e 7,2 mil milhões de barris de reservas de petróleo – estes acordos são cruciais para ajudar o país a alcançar a auto-suficiência energética e metas de desenvolvimento socioeconômico.

Refinaria de combustíveis Angola-Zâmbia e Acordo de Exportação

Com Angola a posicionar-se como um centro regional de combustíveis, o acordo assinado em Janeiro de 2023 com a vizinha Zâmbia para o fornecimento de produtos petrolíferos irá impulsionar as exportações de combustíveis do país e a geração de receitas. O acordo segue-se à aquisição pela Zâmbia de uma participação na Refinaria do Lobito em Angola, em 2022, que abriu caminho para o governo zambiano direccionar investimentos para aumentar a capacidade de refinaria. 

Além disso, a Zâmbia e Angola assinaram um acordo de 5 biliões para desenvolver um oleoduto que transportará gasolina, querosene, diesel e gás desde a Refinaria do Lobito até à Zâmbia. Além de providenciar um fornecimento estável de produtos petrolíferos à Zâmbia, o acordo bilateral consolida a posição de Angola como um centro regional e exportador de energia.

Acordo comercial e partilha de conhecimento Angola-Serra Leoa

Durante a conferência Angola Oil & Gas (AOG) – o principal evento de Angola para o sector de energia – em novembro de 2022, Angola, através da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), assinou um acordo com a Serra Leoa para os dois países cooperarem no crescimento da indústria através da partilha de conhecimento, tecnologias e melhores práticas da indústria. Como parte deste acordo, Angola e Serra Leoa irão intensificar a cooperação no comércio de energia, bem como investimentos em infra-estruturas, aproveitando-se a experiência de Angola, enquanto grande produtor, para desenvolver a crescente indústria de energia de Serra Leoa.

Acordo de conteúdo local Angola-Namíbia

Com Angola empenhada em ajudar os mercados emergentes de energia africanos a optimizar o crescimento do sector de petróleo e gás, o país, através do Ministério de Recursos Minerais, Petróleo e Gás, assinou um acordo com o Ministério de Minas e Energia da Namíbia durante a AOG 2022 para cooperar na troca de informações, gestão de dados da indústria, estudos geológicos e desenvolvimento de projectos conjuntos de petróleo e gás. O acordo permitirá que a Namíbia e Angola trabalhem juntas para enfrentar os desafios da indústria relacionados com a transição energética, optimizando a exploração das oportunidades que estão associadas.

Acordo de Produção de Gás Angola-Itália

Com a guerra russo-ucraniana a pressionar o fornecimento de gás de Itália, e com Angola a procurar parceiros para maximizar o desenvolvimento de sua indústria de gás, as duas partes assinaram um acordo em 2022 abrindo caminho para a colaboração em relação à produção e exportação de gás natural. Pelos termos do acordo, Itália e Angola vão trabalhar em conjunto nos sectores das energias renováveis, gás natural liquefeito e biocombustíveis, bem como na formação em tecnologia e sustentabilidade ambiental.

Cooperação Angola-Rússia na Indústria de Hidrocarbonetos

Embora Angola seja um dos maiores produtores de petróleo da África, o país também recorreu a países produtores líderes globais, como a Rússia, para aprimorar as atividades e a implementação de infra-estruturas em toda a cadeia de valor de petróleo e gás. Em 2019, Angola assinou um acordo de cooperação com a empresa estatal russa de petróleo e gás, Rosneft, para a empresa russa ajudar este país da África Central a modernizar as infra-estruturas já existentes, construir novas instalações e maximizar as atividades a montante.

Acordos de diversificação

Angola também assinou vários acordos bilaterais que permitirão ao país diversificar a sua matriz energética de forma a assegurar uma economia energética diversificada. Em 2019, o país assinou um acordo com Portugal para investimentos em energia renovável e lançamento de projectos após um acordo de 2018 firmado com o governo chinês para o desenvolvimento e financiamento do projeto hidro-eléctrico Caculo Cabaça, com capacidade para produzir 2,1 GW na província de Kwanza Norte.