Angola assinou vários acordos bilaterais para aumentar o fluxo de investimento em energia, tecnologia e competências no país, e para acelerar o desenvolvimento de infra-estruturas e implantação de projectos para o crescimento sustentável da indústria de energia. Com o aumento da procura por energia, e com Angola a procurar maximizar o desenvolvimento e a monetização dos seus hidrocarbonetos – o país tem cerca de 13 triliões de pés cúbicos de gás e 7,2 mil milhões de barris de reservas de petróleo – estes acordos são cruciais para ajudar o país a alcançar a auto-suficiência energética e metas de desenvolvimento socioeconômico.

Refinaria de combustíveis Angola-Zâmbia e Acordo de Exportação

Com Angola a posicionar-se como um centro regional de combustíveis, o acordo assinado em Janeiro de 2023 com a vizinha Zâmbia para o fornecimento de produtos petrolíferos irá impulsionar as exportações de combustíveis do país e a geração de receitas. O acordo segue-se à aquisição pela Zâmbia de uma participação na Refinaria do Lobito em Angola, em 2022, que abriu caminho para o governo zambiano direccionar investimentos para aumentar a capacidade de refinaria. 

Além disso, a Zâmbia e Angola assinaram um acordo de 5 biliões para desenvolver um oleoduto que transportará gasolina, querosene, diesel e gás desde a Refinaria do Lobito até à Zâmbia. Além de providenciar um fornecimento estável de produtos petrolíferos à Zâmbia, o acordo bilateral consolida a posição de Angola como um centro regional e exportador de energia.

Acordo comercial e partilha de conhecimento Angola-Serra Leoa

Durante a conferência Angola Oil & Gas (AOG) – o principal evento de Angola para o sector de energia – em novembro de 2022, Angola, através da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), assinou um acordo com a Serra Leoa para os dois países cooperarem no crescimento da indústria através da partilha de conhecimento, tecnologias e melhores práticas da indústria. Como parte deste acordo, Angola e Serra Leoa irão intensificar a cooperação no comércio de energia, bem como investimentos em infra-estruturas, aproveitando-se a experiência de Angola, enquanto grande produtor, para desenvolver a crescente indústria de energia de Serra Leoa.

Acordo de conteúdo local Angola-Namíbia

Com Angola empenhada em ajudar os mercados emergentes de energia africanos a optimizar o crescimento do sector de petróleo e gás, o país, através do Ministério de Recursos Minerais, Petróleo e Gás, assinou um acordo com o Ministério de Minas e Energia da Namíbia durante a AOG 2022 para cooperar na troca de informações, gestão de dados da indústria, estudos geológicos e desenvolvimento de projectos conjuntos de petróleo e gás. O acordo permitirá que a Namíbia e Angola trabalhem juntas para enfrentar os desafios da indústria relacionados com a transição energética, optimizando a exploração das oportunidades que estão associadas.

Acordo de Produção de Gás Angola-Itália

Com a guerra russo-ucraniana a pressionar o fornecimento de gás de Itália, e com Angola a procurar parceiros para maximizar o desenvolvimento de sua indústria de gás, as duas partes assinaram um acordo em 2022 abrindo caminho para a colaboração em relação à produção e exportação de gás natural. Pelos termos do acordo, Itália e Angola vão trabalhar em conjunto nos sectores das energias renováveis, gás natural liquefeito e biocombustíveis, bem como na formação em tecnologia e sustentabilidade ambiental.

Cooperação Angola-Rússia na Indústria de Hidrocarbonetos

Embora Angola seja um dos maiores produtores de petróleo da África, o país também recorreu a países produtores líderes globais, como a Rússia, para aprimorar as atividades e a implementação de infra-estruturas em toda a cadeia de valor de petróleo e gás. Em 2019, Angola assinou um acordo de cooperação com a empresa estatal russa de petróleo e gás, Rosneft, para a empresa russa ajudar este país da África Central a modernizar as infra-estruturas já existentes, construir novas instalações e maximizar as atividades a montante.

Acordos de diversificação

Angola também assinou vários acordos bilaterais que permitirão ao país diversificar a sua matriz energética de forma a assegurar uma economia energética diversificada. Em 2019, o país assinou um acordo com Portugal para investimentos em energia renovável e lançamento de projectos após um acordo de 2018 firmado com o governo chinês para o desenvolvimento e financiamento do projeto hidro-eléctrico Caculo Cabaça, com capacidade para produzir 2,1 GW na província de Kwanza Norte.